sábado, 20 de maio de 2017

Sobre o sistema de envelopes... | 2


Lembram-se deste post?
Entretanto arranjei uma solução que tem funcionado:
basicamente "transferi" os envelopes físicos para a poupança. Ou seja, agora o total do valor dos envelopes (despesas anuais) é transferido no início do mês para a poupança.
Obviamente isto obriga a um controlo maior no mapa de despesas do valor que corresponde aos envelopes e do valor que corresponde à minha poupança, mas por outro lado e uma vez que apenas mexo neste dinheiro uma vez por ano (quando chega a hora do pagamento) e como o valor transferido é maior acabo por ganhar mais em juros.
Por enquanto tem funcionado!

terça-feira, 16 de maio de 2017

Uma noite no Expresso do Oriente


Sinopse:
O Expresso do Oriente. Luxo. Mistério. Romance.
Para o grupo de passageiros que se instala nos seus lugares e bebe os primeiros goles de champanhe, a viagem de Londres até Veneza é mais do que a viagem de uma vida.
Uma missão misteriosa; uma promessa feita a um amigo moribundo; uma proposta inesperada; um segredo que remonta a vida inteira... Enquanto o comboio segue viagem, revelações, confissões e encontros amorosos têm lugar no cenário mais romântico e infame do mundo.

Apesar de um início algo confuso, acabei por gostar do livro. Acho que linha de tempo e das histórias poderia ter sido organizada de uma forma mais fácil leitura e encadeamento da história. Desta forma, nos primeiros capítulos andei ali um pouco perdida para situar a história e as personagens e perceber a linha do tempo.

Dou 2 estrelas!!

domingo, 14 de maio de 2017

Marina / Carlos Ruiz Zafón


Sinopse:
«Por qualquer estranha razão, sentimo-nos mais próximos de algumas das nossas criaturas sem sabermos explicar muito bem o porquê. De entre todos os livros que publiquei desde que comecei neste estranho ofício de romancista, lá por 1992, Marina é um dos meus favoritos.» «À medida que avançava na escrita, tudo naquela história começou a ter sabor a despedida e, quando a terminei, tive a impressão de que qualquer coisa dentro de mim, qualquer coisa que ainda hoje não sei muito bem o que era, mas de que sinto falta dia a dia, ficou ali para sempre.» Carlos Ruiz Zafón «Marina disse-me uma vez que apenas recordamos o que nunca aconteceu. Passaria uma eternidade antes que compreendesse aquelas palavras. Mas mais vale começar pelo princípio, que neste caso é o fim.» «Em Maio de 1980 desapareci do mundo durante uma semana. No espaço de sete dias e sete noites, ninguém soube do meu paradeiro.» «Não sabia então que oceano do tempo mais tarde ou mais cedo nos devolve as recordações que nele enterramos. Quinze anos mais tarde, a memória daquele dia voltou até mim. Vi aquele rapaz a vaguear por entre as brumas da estação de Francia e o nome de Marina tornou-se de novo incandescente como uma ferida fresca. «Todos temos um segredo fechado à chave nas águas-furtadas da alma. Este é o meu.»
 
 Tal como combinado dei uma nova oportunidade ao Carlos Ruiz Zafón, mas definitivamente não me convenceu.
Não fiquei fã!
Não consigo "entrar" nas histórias, não gosto da forma como escreve. Enfim... não é o meu tipo de autor.
Eu vejo a leitura como um momento de diversão, de descontração, de esquecer os problemas... E com este autor eu não consigo isso. :-(

Dou 1 estrela!!!

quinta-feira, 11 de maio de 2017

weeel done!!!

Experimentei este gelado pela primeira vez no dia que fui ao El Corte Inglês e simplesmente ADOREI!!
Tem a vantagem, face ao Llaollao, vir com mais fruta, ter mais opções de escolha nas frutas e o gelado não ser tão ácido!
Agora só tenho de descobrir uma loja destas perto de mim. :-) :-)





 
Já provaram estes?

terça-feira, 9 de maio de 2017

Prioridades!



Ultimamente tenho percebido e consciencializado a importância que as prioridades devem na nossa vida, seja na questão da gestão do tempo, nas finanças ou até em sociedade.
Defini-las é um processo complicado, moroso e difícil, porque implica muitas vezes silenciar os "barulhos externos" e pensarmos em nós em primeiro lugar. E isso é difícil e complicado porque vivemos em sociedade e os outros importam.
É um processo que pode levar muito tempo, porque implica um profundo autoconhecimento e isso pode ser desmotivador.
Mas uma vez definidas, as nossas prioridades e o grau de importância delas nas nossa vida, viver torna-se mais simples.
Porque vamos identificar mais facilmente o que nos faz felizes, o que temos realmente de fazer e dedicar o nosso tempo e deixa para trás o que não interessa.
Não há prioridades certas ou erradas. Cada um tem as suas e são plenamente válidas (ok! matar alguém é óbvio que não é!).
Ao contrário do que muita gente pensa, as prioridades não são estanques. Evoluem consoante vamos crescendo, aprendendo e vivendo.
Mas o primeiro passo (e fundamental!) é defini-las e isso faz toda a diferença.