domingo, 31 de dezembro de 2017

O ano de 2017...

... foi um ano bipolar.
Começou da pior maneira, mas exatamente a meio dele (concretamente a 1 de Junho) recebi uma das melhores notícias da vida. E acabou por terminar em modo morno.
(muito!) Positivo foi, sem dúvida, mudar de trabalho. A mudança de trabalho veio mudar tudo!!! Mais qualidade de vida, mais saúde!
Já financeiramente 2017 foi um desastre autêntico. Assim a mudança veio na hora certa.
Permitiu recomeçar do zero. Também não era muito difícil, dada a confusão que aí reinava.
Um orçamento que não funcionava, uma poupança quase a zeros, uma dívida que existe há demasiado tempo, uma shopping list pouco útil, um sério problema de roupa para resolver...enfim...
Assim, a mudança de trabalho veio "impor" uma pausa, uma reflexão profunda e um recomeço.
E, como aqui, contei aproveitei o último trimestre do ano para fazer essa paragem, essa reflexão.
Deixei de lado agendas, planos, objetivos... fiz-me apenas acompanhar de uma simples caderno preto onde diariamente despejava tudo o que me ia na cabeça... ideias, tarefas...
Durante estes três meses, a minha única preocupação foi ir para a cama com a cabeça limpa, apenas para dormir descansada... para colocar o sono em dia.
Findos esses três meses eis algumas conclusões a que cheguei:
  • sem agenda não funciono;
  • em impasses organizativos (que me acontecem tantas e tantas vezes) é o caderno que me salva. Mas deve ter sempre argolas :-)
  • o meu "tipo" de agenda ideal é o Filofax. Gosto da sua versatilidade;
  • para 2018 decidi não ter objetivos/metas anuais, apenas 4 prioridades e dedicar-me a elas a 100%. Para conquistar essas prioridades irei definir pequenos objectivos mensais que me ajudarão a ficar mais perto de cumprir as minhas prioridades;
  • sem agenda não consigo ser tão produtiva, quanto eu sei que posso ser. Era ver-me a adiar constantemente as tarefas da to do list. A procrastinar à grande e à francesa.
Mas como não há mal que sempre dure, nem bem que sempre perdure, hoje termina um ano que certamente ficará na minha memória, como um ano duro, mas igualmente recheado de momentos felizes.
Daqui a umas horas começará um novo ano que espero, do fundo do coração, seja pleno de saúde (para mim e para os meus), paz, trabalho e amor. Um ano que terá três palavras a orienta-lo: poupança,organização e disciplina. Um ano que pretendo que seja o início de uma nova vida.
A todos os que por aqui passam e perdem algum do seu tempo a ler a minhas baboseiras desejo um 2018 muito feliz.
Vemo-nos em 2018!!! ;-)

quarta-feira, 27 de dezembro de 2017

O terceiro passo...

A leitura e o estudo foram, de facto, fundamentais para entrar um pouco no mundo da moda e perceber um pouco melhor o meu estilo. No entanto, depois de tanta leitura, de anos e anos de tentativas falhadas para resolver o meu problema de roupa, e nada, resolvi recorrer a ajuda profissional.
Fiz uma consulta de imagem. E ADOREI!! E recomendo!!!
Muitos dirão que é ridículo pagar para nos ensinarem a vestir, que são serviços muito caros…
Eu digo que ridículo é pensarem e dizerem isso. Porque ninguém nasce ensinado e se temos (excelentes!) profissionais na área para nos ajudar, porque não haveríamos de recorrer a eles?
E se estamos a contratar um serviço porque não haveríamos de pagar por ele? Depois de um mês de trabalho também gostamos de ver o ordenado cair na conta, não gostamos? Então sejamos justos e paguemos pelo trabalho dos outros!!!
Pois bem, eu  sou uma pessoa que lê muito e estuda bastante, mas percebi que a moda não é de todo a minha área, mas gosto de andar bem apresentada. Então vou à procura de quem me possa ajudar.
E para me ajudar neste projecto escolhi a Lima Limão Consultoria de Imagem. E RECOMENDO completamente o seu trabalho!!! É acessível, isenta, profissional, entendida no assunto, faz um trabalho super completo e diversificado. Tem sido uma companhia insubstituível neste processo todo. Tenho aprendido imenso sobre moda e sobre o meu estilo e o mais importante: tudo tem sido feito ao meu ritmo!!
Se estão a passar pelo mesmo (descontentamento com a imagem, a precisar de dar um refresh) falem com ela. Não se vão arrepender!!!

sábado, 23 de dezembro de 2017

Sobre as tradições de natal...

Vamos lá ver em que pé estão cá por casa...

  • Fazer a árvore de natal e o presépio (dia 1) 👍
  • Ir ver as iluminações de Lisboa (dia 8) 👍
  • Ir ver as iluminações do Colombo 👍
  • Comer chocolate after-eight 👍
  • Ir à terra passar o Natal e cumprir as tradições que por lá acontecem é que são realmente o Natal (a caminho neste momento para resolver essa questão... 😉)
  • Comer muito 👍
  • Almoço de Natal do trabalho 👍
  • Jantar de Natal do trabalho (por motivos de força maior ficou agendado para Janeiro 😉)
  • Comprinhas de Natal 👍
  • Espírito natalício 👍
  • Comer bolo-rei torrado
É por aí? Como vão as hostes?

quinta-feira, 21 de dezembro de 2017

Um dia perfeito / Nora Roberts



Sinopse:
Quando eram crianças, as quatro amigas Mackensie, Emma, Laurel e Parker, passavam horas a imaginar como seria um dia de casamento perfeito. Anos mais tarde, as suas fantasias tornam-se realidade, mas de uma forma que não esperavam: criaram uma empresa de organização de casamentos e realizam os sonhos de outras mulheres.
Em Um dia Perfeito, ficamos a conhecer Mackensie Elliot, uma fotógrafa bonita e independente, que adora captar os momentos felizes e únicos que descobre nos casamentos. Mas tanta felicidade ao seu redor por vezes recorda-lhe um passado de amargura e que quer deixar para trás.
Quando conhece Carter Maguire, irmão de uma noiva, sente que um inofensivo flirt pode ser mesmo aquilo que precisa para tirar a cabeça de tantos casamentos. O que não esperava era que o coração lhe pregasse uma rasteira e exigisse algo que ela julgava impensável... Poderá Mackensie descobrir o caminho para a felicidade e rumar, um dia, ao altar?
 
Definitivamente ando numa fase de romances. Ajudam-me a descontrair e a esquecer os problemas da vida. Naqueles minutos em que me envolvo na leitura, esqueço que o mundo da fora existe. E actulamente são os romances que conseguem isso. Alturas haverá que serão os policiais, mas por agora vou "viver" mais um romance (desta vez histórico... :-) )
 
Dou 3 estrelas!!

quarta-feira, 20 de dezembro de 2017

terça-feira, 19 de dezembro de 2017

segunda-feira, 18 de dezembro de 2017

Aquele dia...




... em que, apenas faltando 7 dias para o Natal, compras o teu primeiro calendário do advento!!!
Claro que tinhas de o actualizar devidamente!!
Ontem tive uma tarde muito docinha!!! 😂😂😂😂

domingo, 17 de dezembro de 2017

in the mood for fashion... # 20





Sapatos-vela castanhos Rockport
Jeans azuis escuros Salsa
Camiseiro risca roxa Sacoor
Cardigan azul escuro Lanidor
Colar por As coisas da Filó

sábado, 16 de dezembro de 2017

Cenas que me ultrapassam... | parte 2

Talvez vocês pessoas esclarecidas na área me possam iluminar as ideias e esclarecer aqui uma dúvida:
regra geral, uma mulher quando pinta o cabelo é para esconder os cabelos brancos então esclarecem-me o que raio leva uma mulher sem cabelos brancos a pintar o cabelo TODO branco???
 Que raio de moda maluca é essa??

sexta-feira, 15 de dezembro de 2017

in the mood for fashion... # 19






Sapatos-vela castanhos Rockport
Jeans azuis escuros Salsa
Camiseiro Sacoor
Cardigan vermelho Lanidor

Cenas que me ultrapassam...

... o massacre das marcas, via SMS, com promoções e descontos TODO o santo fim-de-semana!!!
Credo!!! Que abuso!!!
Este marketing agressivo devia ser proibido!!
Por aqui a pessoa até precisa de ir às compras, mas desmotiva completamente por causa da confusão que as promoções vão provocar nos centros comerciais.
E depois ainda dizem que não há dinheiro!!

quarta-feira, 13 de dezembro de 2017

terça-feira, 12 de dezembro de 2017

O feitiço da lua / Sarah Addison Allen


Sinopse:
Emily Benedict vai para Mullaby, na Carolina do Norte, na esperança de pelo menos resolver alguns dos mistérios que rodeiam a vida da mãe. Porém, assim que Emily entra na casa onde a mãe cresceu e trava conhecimento com mo avô, cuja existência sempre desconhecera, descobre que os mistérios não se resolvem em Mullaby, são um modo de vida: o papel de parede muda de padrão para se adequar ao estado de espírito do ocupante do quarto, luzes inexplicáveis dançam pelo quintal à meia-noite e uma vizinha, Julia Winterson, cozinha esperança sob a forma de bolos, desejando não apenas satisfazer a gulodice da cidade mas também reacender o amor que receia ter perdido para sempre. Mas porque desencorajam todos a relação de Emily com o atraente e misterioso filho da família mais importante de Mullaby? Ela veio para a cidade a fim de obter respostas, mas tudo o que encontra são mais perguntas.
Um bolo de colibri poderá trazer de volta um amor perdido? Haverá mesmo um fantasma a dançar no quintal de Emily? As respostas não são o nunca o que esperamos, mas nesta pequena cidade de adoráveis desadaptados, o inesperado faz parte do dia-a-dia.

Na sua generalidade gostei. História simples e fácil de acompanhar.
No entanto, devo de confessar que não percebi o fim... Acho que havia mais para explorar. Ou então foi mesmo a minha burrice que esteve em alta. :-)

Dou 2 estrelas!!

segunda-feira, 11 de dezembro de 2017

In the mood for fashion... # 17





 
Sapatos-vela castanhos Rockport
Jeans azuis escuros Salsa
Camiseiro azul Saccor
Cardigan azul escuro Lanidor
Fio por As coisas da Filó

domingo, 10 de dezembro de 2017

Sunday’s afternoon...

Chuva e vento lá fora, sofá, manta nas pernas, filmes e séries com fartura na tv, chá quentinho, um livro ali mesmo ao lado pronto a ser lido nos intervalos dos filmes...
Just a perfect sunday afternoon!!!
De que precisamos mais para sermos felizes?

quinta-feira, 7 de dezembro de 2017

In the mood for fashion... # 16






Longsleeve vermelho escuro Modalfa
Cardigan vermelho Lanidor
Jeans azuis escuros Salsa
Sapatos-vela castanho Rockport

terça-feira, 5 de dezembro de 2017

Aquele momento... | parte 2

... fantástico em que descobres que a única mala que tens se estragou?
Acabou de acontecer!!
Isto está bonito, está!

segunda-feira, 4 de dezembro de 2017

Sussurros Ousados / Emma Wildes


Sinopse:
Na sociedade do período da Regência, espera-se que as mulheres casem jovens, governem a casa e sejam vistas, não ouvidas. No entanto, estas senhoras dificilmente fazem o que se espera delas…
Lady Cecily Francis está resignada a tornar-se esposa de Lorde Drury, o homem por quem desconfia que a irmã nutre uma paixão secreta. Porém, depois do seu primeiro encontro escandaloso com o exótico conde de Augustine - o americano de quem toda a gente fala em surdina -, Cecily fica intrigada com a possibilidade de uma vida mais excitante. Se ao menos conseguisse arranjar maneira de casar com o pouco convencional conde…
É conhecido na cidade por Conde Selvagem. Embora tenha herdado o título de forma legítima - e, com ele, a responsabilidade pelas suas três meias-irmãs -, Augustine é meio-americano e meio-iroquês. Mal pode esperar para pôr em ordem o património do pai, casar as irmãs e regressar à sua terra natal. Até que a encantadora Lady Cecily o leva a considerar uma prolongada estada em Inglaterra…


Muitos consideram, ainda que erradamente, os romances um género literário menor.
Não podiam estar mais errados!!
Sejam romances, BD, jornais, revistas, policiais, diários, memórias... todos são literatura.
Com a leitura de qualquer um deles, as competências literárias são utilizadas e desenvolvidas. Com a leitura de qualquer um deles estamos a praticar a escrita. Estamos a aprender alguma palavra nova, algum conhecimento novo.
É por isso que volta e meia até num romance aprendemos uma lição de vida...

"(...) O camponês mais pobre ficar encantado com a abertura da primeira flor primaveral e o aristocrata mais rico pode amaldiçoar o dia em que nasceu por causa de uma ofensa insignificante à sua sensibilidade (...) Para alcançarmos a serenidade temos de ver a vida não como ela é medida pelo mundo à nossa volta, mas como nós próprios a medimos. Temos de aceitar que as balanças não são todas iguais (...)"

sábado, 2 de dezembro de 2017

in the mood for fashion... # 15





 
Sapatos-vela castanho Rockport
Jeans pretos Salsa
Longsleeve cinza
Cardigan preto Lanidor

Aquele momento...

... em que descobres que um dos dois pares de calças que tens está roto?
É maravilhoso não é? Só que não!!
Aconteceu-me ontem.
Podem imaginar a minha alegria (#soquenao).

sexta-feira, 1 de dezembro de 2017

in the mood for fashion... #14





 
Sapatos-vela castanhos Rockport
Jeans azuis escuros Salsa
Longsleeve branca Modalfa
Cardigan azul escuro Lanidor

quinta-feira, 30 de novembro de 2017

Frustrada!!!

E cansada!!!
É como me sinto!!!
Ao fim de dez anos a trabalhar, ao fim de dez anos a receber um ordenado e a geri-lo chego à brilhante conclusão que não sei gerir o meu dinheiro.
Pior!!! Não sei gastá-lo. :-(
Logo continuo a desperdiça-lo. Continuo a comprar coisas desnecessárias. continuo a comprar coisas que na loja gosto, mas imediatamente no momento em que chego a casa passo a detesta-las. Continuo a não ter dinheiro para o mês todo. Continuo a colocar mensalmente um valor na poupança e a ir constantemente buscá-lo. Continuo a não saber o que é ir às compras ou comer fora sem isso implica milhentas contas e ajustes de orçamento. Continuo a não saber o que é ir comer fora quando me apetece e a ter de guardar isso para as datas megas especiais. Continuo sem saber o que são férias a sério!! De passeio. De aproveitar para descansar, para conhecer o nosso país ou até o estrangeiro. Continuo a não saber fazer uma shopping list. Continuo a não saber definir prioridades. Continuo a não ver o fim da lista de compras... enfim... continuo a não gostar nada da forma como gasto o meu dinheiro.
E não é por falta de estudo na área, nem por falta de tentativas. Acho que nem o facto de receber pouco, ao fim de tantos anos, serve como desculpa. Pois já tive mais do que tempo para aprender.
Acho que é mesmo uma burrice minha!!
Eu não sei gerir e gastar dinheiro. Isto até poderia não ser um problema se eu fosse daquelas que são go with the flow. Vivem o dia e amanhã logo se vê. Contudo, financeiramente falando, eu não consigo ser assim. Não se isso se deve à falta de uma rede de segurança que me diga, avança que aconteça o que aconteceu estamos cá para ajudar. Não se isso se isso se deve só é apenas a medo.
Não sei...
Sei é que tenho sonhos (caros!) que quero cumprir e que com este modo de viver nunca o vou conseguir.
Sei é que já vai sendo altura de aprender, de uma vez por todas, a gerir o meu dinheiro.
De aprender a gasta-lo de uma forma ajuizada.
De aprender a definir prioridades.
De começar a poupar a sério!!!
Desculpem o desabafo!!!

quarta-feira, 29 de novembro de 2017