domingo, 12 de março de 2017

Considerações orçamentais...

Sempre que leio sobre finanças pessoais (e acreditem que não é assim tão pouco!) há um ponto que é comum: fazer todos os meses um orçamento! Entender e gerir o nosso dinheiro como se de uma empresa se tratasse.
Ora, eu que já ando nestas andanças orçamentais há algum tempo, digo-vos que a arte de fazer um bom orçamento (e que resulte!) é uma ciência algo complexa.
Quando fiz este novo orçamento, e como acontece sempre, contei com as despesas fixas, as variáveis e as previstas, deixando, obviamente, uma margem para imprevistos.
Pois foram precisamente esses imprevistos que mais uma vez me recordaram que nestas coisas da gestão de dinheiros não há como simplificar e que a vida ultrapassa-nos sempre.
É importante acautelar o  futuro (o que podemos, claro!), contar sempre que a vida é imprevisível, mas também não podemos ou devemos deixar de viver. E o bom do orçamento é que podemos, sempre que achamos necessário, redefini-lo.
O meu calcanhar de Aquiles é o dinheiro que tenho para o mês, aquela verba que eu destino para a lista de compras e para o lazer. É sempre aqui que tenho de reavaliar o orçamento. 
Já no caso das despesas fixas e obrigatórias eu não tenho sequer a tendência de lá ir mexer. Pode o mês estar a correr pessimamente, mas para aqueles valores eu nem sequer olho.
No entanto, chego à conclusão que eu não sei gerir o meu dinheiro (e falo obviamente do dinheiro para o mês!). Sobra-me sempre mês (e lista!). E isso deixa-me triste.
Há sempre várias coisas que têm de ficar para o mês seguinte, atrapalhando logo esse mês.
Passo meses sem saber o que é ir comer fora, sem ir passear, comprar roupa (que tanto preciso e não é exagero, acreditem!) uma vez que seja, porque muitas vezes o valor que posso dispor para o mês mal chega para as despesas previstas e não param de surgir imprevistos a que é preciso fazer face.
Sei que parte do problema se resolveria se ganhasse mais, porque assim poderia dispor de mais dinheiro para o mês (e para a poupança!), mas por enquanto isso não é possível, quem sabe um dia...
Há alturas que isso me desmotiva mesmo... Estou numa fase dessas...

4 comentários:

  1. A mim acontece exatamente o mesmo, uma pessoa já nem sai, nem come fora, nem compra roupa e q de ano pra ano mais precisa, e mesmo assim, o raio do dinheiro n estica... n considero q ganhe mal, mas lá está, as despesas falam sempre mais alto... bolas pró dinheiro

    bjs
    mae_qb

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. No meu caso infelizmente ganhando mal, acrescentando a despesas elevadas (e obrigatórias, como o passe onde gasto bem mais de 100€) dificulta bastante as coisas. Mas o segredo está em não desanimar... :-)
      Novo mês, nova tentativa... :-)

      Eliminar
  2. é importante não perder o foco. mas o mais importante já fazes! ter a consciência da importância dum orçamento e estudares o tema.
    se ainda não leste, lê Pai Rico Pai Pobre, é um livro muito bom que alarga os nossos horizontes!
    beijinhos
    Mariline
    www.contasavida360.pt

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Mariline!

      Obrigada pela sugestão e visita!
      Vou tratar disso!

      Beijinhos

      Eliminar