terça-feira, 3 de abril de 2018

Reflexões financeiras...


Este fim-de-semana tive algum tempo livro e voltei a debruçar-me sobre o meu eterno problema: como gerir o valor que tenho para o mês?
A estrutura-base mantém-se. Não sinto necessidade de mudar. Acho que as percentagens estão bastante equilibradas.
O problema está na forma como gasto o dinheiro do mês.
Pensei em dividir esse valor em dois: 50% para resolver este problema, 50% para o mês.
Dizem os especialistas que devemos separar os valores... mas não sei... até porque assim o valor atribuído a cada uma diminui consideravelmente.
Até agora tenho conseguido comprar qualquer coisa todos os meses e a pouco e pouco vou resolvendo o problema de roupa que tenho. Ainda está longe do fim, mas pelo menos tenho avançado alguma coisa.
Agora  o dinheiro para fazer face às outras despesas (lazer, shopping list, despesas imprevistas, etc) é claramente mal gerido.
É certo que o valor é baixo, que a lista de necessidade é extensa, que as surpresas são constantes, mas começo a achar que as minhas prioridades estão mal definidas na minha cabeça e na minha vida.
Por isso, dei dois passos atrás e com uma folha e um lápis voltei a colocar tudo por escrito e tentei reorganizar-me. A mim e ao orçamento para o valor do mês.
Lembrei-me então que até podia fazer um orçamento exclusivo e dedicado ao valor do mês, quiçá estipular envelopes. Dúvidas... dúvidas...

5 comentários:

  1. Não sei se contigo será igual, mas eu funciono um pouco por: ou faço tudo ou não faço nada.
    Para abrir fiz o seguinte:
    - Escrevi todas, mas SÓ e APENAS, as despesas obrigatórias (p.e. casa, alimentação, combustível, telefone), não entrei com mais nada.
    - Escrevi noutra linha o valor da minha poupança bancária (valor que já subi, face ao estabelecido no inicio do ano, porque vi que consigo poupar mais)
    - Somei ambas e vi que o ordenado cobria e bem essas despesas. Levantei 30€ para o café ou artigo de pastelaria que me vá apetecer ao longo do mês, ou mesmo um cinema.
    No resto não tenciono mexer.
    Estamos no dia 4 é certo, tudo pode acontecer. Mas o objetivo é mesmo não mexer na conta. Nós não somos as coisas que compramos. Acredito que a questão do guarda-roupa a compor te 'roube' um pouco de paz e dinheiro, mas a oferta já é tanta que se conseguem preços bons em peças com qualidade. Além disso esta terapia de choque que vou fazer este mês, pode ser feita uma vez por trimestre por exemplo, e nos restantes podes compor o guarda-roupa.
    Não sei se consigo ajudar com esta ideia. Mas passará por fazer uma pausa na aquisição de bens, há quem faça dieta na alimentação, podemos ver as coisas um pouco por esse prisma, mas no dinheiro. Até pode servir para avaliarmos bem o que realmente é ou não necessário comprar.
    Queres adotar o desafio? Só não vale fazer batota :P.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu adoro um bom desafio e por isso vamos a ele!!
      Como seriam exatamente as regras?

      Eliminar
    2. Ora então, as regras passam pelo seguinte:
      - Fazer o orçamento apenas com as obrigações financeiras mensais (aquelas contas que somos MESMO obrigados a pagar p.e. casa, agua, alimentação, telefone). E juntar nessas obrigações um valor de poupança (o que normalmente já poupares, P.e.).
      - Levantar um montante para andar contigo p/ gastos diários, p.e. um cafezinho (eu, levantei 30).
      - Se sobrar dinheiro, por pouco que seja, não mexer nele.

      - A REGRA MAIOR, será mesmo, pagar em Abril apenas o que é obrigação, sem gastar nada fora disso, e ver como resulta.

      Porque mesmo incluindo em gastos obrigatórios um valor de poupança (eu faço sempre isso, para assumir que aquele valor não existe), não gastando o que sobra do que é obrigatório pagar, no dia 30 de Abril conseguiremos juntar + ao valor da poupança.

      Eu acredito que consigo passar um mês sem os bolos da pastelaria, ou um livro novo, ou uns brincos, ou umas gomas, ou um impulso qualquer de investimento grande.

      E os gastos obrigatórios que defini foram:
      - combustível
      - Contas de casa (dou sempre um montante fixo p/ gerirem nas contas de casa)
      - Telemóvel
      - Seg. automóvel (divido por 12 meses, e em cada mês coloco x)
      - valor para fruta, produtos de higiene e produtos alimentares para casa;
      - Valor de poupança

      Levantei 30€ para andarem comigo. O resto está quieto na conta. O mês iniciou esta semana é certo. Mas acho que se consegue.

      As tuas despesas obrigatórias serão, certamente, diferentes, mas analisa e vê se te sobra um montante Jeitosinho :P

      Beijinhos

      Eliminar
    3. Vamos a isso!!
      Se não houver inconveniente eu fazia em Maio é que o meu mês já vai a meio e erros já aconteceram.
      Estou a entrar na fase de preparar o próximo orçamento e vou fazer tendo em conta este desafio. :-)

      Eliminar
    4. Claro que sim :) faz no mês que te for conveniente :)

      Eliminar