quinta-feira, 29 de março de 2018

em abril...


Por aqui tem reinado a desorganização completa!!
Assim em Abril decidi dar uns quantos passos atrás, fazer tábua rasa de tudo e dedicar o mês de Abril à organização (apanhando o embalo de renovação que a primavera nos trás!).
Assim sendo, para Abril defini como objectivos:
  • fazer as limpezas de primavera;
  • dar um bom destralhe às minhas coisas;
  • definir o armário-cápsula de primavera e concentrar as compras de roupa e calçado nele;
  • estudar sobre organização pessoal;
  • criar uma rotina de organização que funcione comigo;
  • criar uma to do list e forma de a gerir eficazmente para mim;
  • voltar a ter 15 dias sem gastar um cêntimo;
  • colocar o valor na poupança e NÃO mexer nele;
  • comprar 2 peças de roupa ou calçado.

terça-feira, 27 de março de 2018

em março... # 2


Está a terminar o primeiro trimestre do ano e, portanto, impõe-se um balanço.
Foram três meses relativamente calmos, com alguns objectivos atingidos e outros nem tanto. :-)
Meses de muita aprendizagem e crescimento.
A minha audácia de início de mês não correu lá grande coisa, pois ao contrário do esperado não foi grande motivo de motivação para cumprir mais tarefas.

Acontecimentos dignos de registo...
  • regressou a chuva e com ela vimos as barragens a começar a ser reabastecidas;
  • tomei uma decisão muito importante ;-);
  • começou a primavera e com ela veio a vontade da renovação;
das finanças...
  • o mês de março foi relativamente calmo, mas terminou com uma viagem inesperada à terra que acabou por baralhar um pouco as contas, mas o saldo acabou positivo;
  • depois de um começo algo atribulado, o objectivo do closet encontra-se agora num bom caminho;
  • nestes três meses coloquei sempre um valor na poupança e NÃO mexi nele. Happy! Happy!;
  • a adição dos 15 dias sem gastar um cêntimo foi uma mais valia para o meu orçamento, bem como só comprar ao fim-de-semana;
dos objectivos...

  • colocar o valor mensal e NÃO mexer nele; - FEITO!!
  • ter 15 dias zero cêntimos; - FEITO!!
  • comprar 2 peças de roupa ou calçado; - FEITO!! Comprei mais lingerie (a chuva assim o obrigou!), uma parka linda, linda!! e 4 camisolas básicas de mangas 3/4;
  • terminar, finalmente, o livro de organização; - FEITO!!
  • melhorar enquanto profissional; -FEITO!!
  • criar uma rotina que funcione para mim; - NÃO!!
  • criar uma to do list eficaz e fácil de gerir; - NÃO!!
  • ler dois livros; - NÃO!!
  • terminar um projecto de crafts - NÃO!!

E o vosso mês correu bem?

sábado, 24 de março de 2018

Comprar na Zara...



 
Há umas semanas andei a passear-me pela Zara (onde acabei por comprar uma parka linda, linda! :-) ) e dei-me conta de umas coisitas que agora partilho convosco:
  • actualmente a Zara está feita uma autêntica feira. Aliás a banca do Manel Cigano da feira cá da terra consegue ser mais organizada e limpa! Senhores!!! Aquilo é uma autentica confusão, sendo que aqui a maior parte da culpa vai para as clientes que numa grandessíssima falta de respeito pelo trabalho das funcionárias se dedicam a estragar o trabalho delas (agora pergunto: será que essas clientes admitem que desrespeitem o trabalho delas? Duvido muito! Então era bonito que respeitassem o trabalho dos outros;
  • há muito que sabemos que a Zara dita as tendências e até aqui tudo bem. O problema é que a qualidade dessas peças tem vindo a decair a olhos vistos. A pontos de me ter deparado com t-shirts que mais pareciam folhas de papel de tão translucidas que eram;
  • hoje em dia só compensa comprar na Zara (se pensarmos na relação qualidade vs preço) os básicos. Aí ainda encontramos peças que valem a pena;
  • as funcionárias andam sempre muito bem vestidas, agora espantem-se, andam de básicos.
Confesso que já fui mais fã da Zara!

domingo, 18 de março de 2018

Shopping on-line



Ao contrário de muitas pessoas eu não sou particularmente fã de comprar on-line em lojas a que posso aceder fisicamente. Aquilo não me inspira muita confiança!
Concordo que é muito prático estar com o portátil  no colo, no quentinho do sofá a viajar pelas lojas on-line e a comprar. Mas eu prefiro bater perna no shopping, perder tempo por lá e poder na hora experimentar, tocar nas coisas e avaliar de uma forma mais correcta o produto. Isto para não falar dos empregos que se perdem se desatarmos todos a comprar só on-line.
No entanto, não há como experimentar para poder falar e hoje venho contar-vos como foi a minha primeira vez pelo shopping on-line.
Para início de conversa vou já dizer que não fiquei fã! E tão cedo acho que não me voltam a apanhar numa.
Tudo aconteceu n final do ano passado, quando me vi sem uma única mala, porque as que tinha  estragaram-se ao mesmo tempo. Vai daí num dia ao fim do trabalho, depois de tanto ler sobre as maravilhas do shopping on-line decidi que poderia experimentar.
Logo que me deparei com um problema: a forma de pagamento ser maioritariamente com cartão de crédito. Ora para quem não tem fica logo ali impedida de comprar.
Decidi então dedicar-me às marcas portuguesas e aí já tive mais sorte, porque havia a possibilidade de referência multibanco e eventualmente levantar a encomenda e até pagar na loja.
Assim sendo, "ataquei" entre outras lojas a Lanidor, onde acabei por comprar as duas malas das fotografias abaixo.
E foi quando as recebi que me lembrei de outros porquês de não gostar de compras on-line:
  • os prazos de entrega que não são cumpridos- eu sei que estávamos na altura do Natal, mas se não conseguiam cumprir não publicitavam 3 dias para entregar, quando depois levaram mais de uma semana a enviar o email para eu me dirigir à loja para levantar a encomenda e eu ainda tive de ir à loja confirmar se a encomenda estava realmente feita;
  • o teste do material - no caso da mala bordeaux correu muito bem, o preço vs qualidade da mala é relativamente bom, no caso da mala camel não. Em loja eu nunca teria comprado uma mala destas pelo preço que foi. Não vale de todo o preço que pediram (o que vale foram os descontos aplicados que animaram mais a minha alma!)




 
E vocês têm o hábito de comprar on-line?

sexta-feira, 16 de março de 2018

Como poupar numa ida ao cinema?


Para muitos ir ao cinema é uma paixão.
Eu também gosto bastante, mas confesso que não vou tanto quanto gostaria, porque atualmente ir ao cinema é caro.
No entanto, há sempre forma de poupar e hoje trago-vos algumas dicas para poupar nas idas ao cinema:
  1. deixar para ver no escurinho do cinema aqueles filmes que realmente sabemos que vamos gostar, cujos efeitos faz realmente a diferença se virmos numa sala de cinema. Os outros alugamos no videoclube e vemos em casa;
  2. aproveitar o Festival de Cinema - normalmente acontece em Maio e durante um período de tempos as salas de cinema praticam preços reduzidos de bilheteira (o ano passado os bilhetes eram a 2,50€)
  3. aproveitar os descontos de cartões- recentemente descobri que o cartão Saúda dá descontos nos cinemas NOS e um desconto bem jeitoso;
  4. levar os snacks (água e pipocas) de casa ou ir ao supermercado antes de entrar na sala de cinema (ficam por menos de 1€ por pessoa);
  5. ir à segunda;
  6. verificar possíveis acordos entre os cinemas e instituições da vossa cidade.
E vocês como poupam quando vão ao cinema?

quarta-feira, 14 de março de 2018

Viver com pouco # 2

 
Poupar não significa deixar de viver!!
Isto é a mais pura das verdades!!
Poupar significa fazer uma gestão regrada dos nossos recursos económicos.
A forma como gastamos o nosso dinheiro faz toda a diferença.
Viver com o essencial, com menos do que ganhamos é uma opção que tomamos é que, obviamente, condiciona o nosso dia a dia, mas sobretudo o nosso futuro.
Poupar significa pensar duas vezes antes de comprar. Poupar significa perguntar: Será que realmente PRECISO de mais uma camisola, quando já tenho cinco parecidas?
Poupar significa acima de tudo fazer escolhas.
Escolhas acertadas que nos coloquem num patamar confortável financeiramente falando. E muitas vezes isto nem sequer significa ser rico ou milionário.
Para mim, significa acima de tudo ter uma poupança que me permita fazer face a um imprevisto, ter as minhas despesas essências asseguradas e ter dinheiro que me permita viver sem me preocupar em fazer contas. O poder, por exemplo, simplesmente ir jantar fora sempre que me apetecer, sem que isso signifique fazer contas ou prescindir de alguma coisa.
Há muitas formas de ser rico e ter milhões na conta nem sempre é sinal disso. No entanto, temos de concordar que saber que temos dinheiro para todas as nossas despesas e para o inesperados sem grandes contas ou dores de cabeça nos dá uma sensação de conforto e tranquilidade, lá isso dá!


segunda-feira, 12 de março de 2018

Viver com pouco


Isto de poupar é, antes de mais nada, uma opção de vida.
Porque é muito mais fácil gozar a vida, sem fazer contas. Sem ter de fazer escolhas. Sem se preocupar se o dinheiro chega para tudo, sem se preocupar com o dia de amanhã, porque afinal existe o cartão de crédito para as "emergências".
E essa é uma opção demasiado trabalhosa e sacrificante para muitos é como tal nem sequer é opção considerável.
No que me diz respeito é a minha opção de vida. Por necessidade, por hábito, por vontade, porque compensa, porque não sei ser e viver de outra modo, por todos os motivos e mais algum. Foi a forma que eu escolhi para viver. É onde me sinto confortável. Saber que todos os dias acautelo o meu futuro. O dia de amanhã.
Mas isso não quer dizer que não viva, que não goze, não tenha qualquer tipo de diversão na minha vida. Posso garantir-vos que tal não corresponde minimamente a realidade. É certo que não sou muito viajada por exemplo, que não vou todas as semanas conhecer novos restaurantes... mas retiro um enorme prazer e felicidade no livro que estou a ler, nos trabalhos manuais que faço, nas aventuras que diariamente me acontecem é que para além de enriquecerem a minha vida com novas aprendizagens, me permitem ter um rol bastante grande de histórias para contar e com isso proporcionar momentos de pura galhofa em família, no trabalho ou com os amigos. Sou muito feliz cada vez que vou ao cantinho do céu, nem que seja por umas horas. Sou muito feliz quando os meus estão felizes. Sou muito feliz quando me levanto para ir trabalhar. Sou muito feliz nos momentos que passo com os meus amigos, nas gargalhadas que dou...
Poupar não significa deixar de viver!! :-)

sexta-feira, 9 de março de 2018

Wishlist...

A par das malas, outra das minhas perdições são os sapatos. E estes slippers da Charlotte Olympia são simplesmente LINDOS!!
Ficam bem com qualquer outfit, fazem falta a qualquer mulher e são, sem margem para qualquer dúvida, uns imprescindíveis do armário de qualquer mulher, porque... afinal uns sapatos pretos não devem faltar em nenhum armário.

quinta-feira, 8 de março de 2018

Milagre de amor / Eloisa James


Sinopse:
Miss Linnet Berry Thrynne é Bela … Naturalmente, está noiva de um Monstro.
Piers Yelverton, conde de Marchant, vive num castelo no País de Gales, onde, corre o boato, o seu mau humor arrasa todas as pessoas com quem se cruza. E também consta que uma lesão deixou o conde imune aos encantos de qualquer mulher.
Só que Linnet não é qualquer mulher.
Ela é mais do que simplesmente formosa: o seu espírito e encanto forçaram um príncipe a ajoelhar-se. E calcula que um conde se apaixonará loucamente por ela… em apenas duas semanas.
No entanto, Linnet não tem ideia do perigo a que o seu coração é exposto por um homem que poderá nunca devolver-lhe o seu amor.
Se ela decidir ser realmente muito perversa … que preço pagará por domar o coração selvagem desse homem?

No início no mês terminei este livro e tal como diz o slogan da Wook é Uma nova versão de A Bela e o Monstro. E não podia concordar mais!!
Acho mesmo que a tradução do título foi muito mal conseguida. É certo que um bom livro deve ter sempre uma reviravolta, um final inesperado, mas neste caso acho que a história podia ter outro caminho. Acabou de uma forma muito banal e expectável, quando tudo indicava que iria ter um final mais inesperado.

P.S.- acho que fiquei mal habituada com os finais inesperados da Jojo Moyes. :- D :-D :-D

quarta-feira, 7 de março de 2018

12 factos sobre mim... # 3

 
Pois bem, eu pertenço ao clube dos "visgarolhos" desde que sou gente. Ainda mal sabia falar e já tinha como acessório principal um belo par de óculos. Maior que a minha cara!
Acessório esse que me faz companhia até aos dias de hoje e sem o qual não sei viver.
Posso esquecer-me de tudo em casa: telemóvel, chaves, dinheiro, mala... mas sem óculos NÃO saio!! E se tiver de chegar atrasada, chego! Não quero saber!! Sem eles é que não saio!!
Da mesma forma, cá em casa eu tenho sítios próprios para os deixar e se alguém lhes mexe temos o caldo entornado!!

terça-feira, 6 de março de 2018

A (minha) dieta financeira...

 
Se relembrarmos os primórdios deste blogue, certamente lembram-se dos caminhos possíveis que na altura determinei para atingir o objectivo deste blogue: deixar de ser assalariada!!
E, logo na altura, ficou claro que a minha "melhor" hipótese era apostar na independência financeira, ou seja, ter o dinheiro a trabalhar para mim. Mas para isso é preciso ter dinheiro para investir. Mas nem este post, nem o blogue é só independência financeira!
Todos sabemos que para investir e para cumprir sonho é preciso (muitas vezes!) dinheiro. No entanto, nem sempre é fácil (se o fosse também não tinha a mínima graça!). Sobretudo, quando são sonhos caros (comprar casa, carro...) e se ganha pouco.
Mas a vida ensinou-me que é possível.
Difícil, árduo, trabalhoso, com (muitos!) sacrifícios pelo meio, mas é possível. Prova disso, é que apesar do parco salário já consegui algumas coisas: comprei uma máquina fotográfica profissional, um iPhone, estou a criar um novo guarda-roupa, ... Foram precisos quase dez anos de mealheiros, mas consegui! E na lista tenho mais uns quantos que tenciono cumprir.
Cada vez mais acho que tudo se resume às nossas decisões e às escolhas que fazemos!!
E no outro dia dei por mim a pensar sobre tudo isto e tomei uma decisão:
muita gente faz dieta para emagrecer. Eu, no seguimento, dos meus objectivos de 2018, decidi fazer uma dieta financeira. A MINHA dieta financeira.
E à semelhança da dieta alimentar onde é importante manter um registo diário do que se come, decidi que este blogue será o diário da minha dieta financeira.
Será um registo das minhas decisões, das minhas escolhas, dos meus avanços e retrocessos, pensamentos e desabafos, os truques e dicas, as leituras que vou fazendo para poupar para os meus sonhos. Sem que isso implique deixar de viver.
Porque sim!! É possível podemos poupar e viver a vida em pleno!!
Repito: é tudo uma questão de escolhas!! Sobretudo, na forma como escolhemos gastar o nosso dinheiro!

domingo, 4 de março de 2018

Eu e o Mr. Grey


A minha "relação" com o Mr. Grey começou pelos livros.
Já eles eram best-sellers há mais de um ano e meio quando a curiosidade sobre os tal falados livros ganhou. E da biblioteca lá veio a triologia.
Lidos os livros, espicaçada por tanta publicidade quando saiu o primeiro filme fui ver e vim com as expectativas defraudadas.
Eu sei que as adaptações de livros ficam sempre muito aquém das expectativas, mas depois de ler tantas criticas, boas e más, não gostei muito. Achei que o mais importante da história, aquilo que é descrito nas entrelinhas (como o relacionamento e o comportamento humano) mal foi abordado no filme. A pouca participação de Mrs Robinson que no livro faz toda a diferença.
O segundo filme fui ver porque li muitas criticas positivas ao dito e como tinha sido o livro que mais gostei, lá fui eu vê-lo. E, de facto, dos três creio que foi a melhor adaptação.
No caso do terceiro filme, se não estou enganada e a confundir a história dos livros, houve histórias paralelas que não foram exploradas (a história de Leslie) e que no livro fazem toda a diferença. Mantém o suspense até ao fim.
Nota positiva para o guarda-roupa que evoluiu positivamente. De resto, ao contrário, de muitas opiniões acho que os actores foram bem escolhidos e souberam interpretar as personagens.
E vocês foram ver? O que acharam?

quinta-feira, 1 de março de 2018

em março...


O primeiro trimestre do ano está a terminar.
Três meses. 90 dias, 90 novas oportunidades para (re)começar.
Este mês decidi ser um pouco mais audaciosa na lista de objectivos a cumprir durante o mês. E decidi também que os tempos livres e o tempo para mim iria ter um foco muito grande.
Assim cá vão os objectivos para março:
  • colocar o valor mensal e NÃO mexer nele;
  • ter 15 dias zero cêntimos;
  • comprar 2 peças de roupa ou calçado;
  • terminar, finalmente, o livro de organização;
  • melhorar enquanto profissional;
  • criar uma rotina que funcione para mim;
  • criar uma to do list eficaz e fácil de gerir;
  • ler dois livros;
  • terminar um projecto de crafts;