terça-feira, 31 de março de 2020

Em Março...


  • Acabou a dor de cabeça e começou uma nova vida financeira;
  • Comemorou-se devidamente o facto (ainda houve tempo!);
  • Houve uma visita relâmpago à aldeia para reabastecer quem por lá vive e preparar o que aí vem;
  • A vida do mundo ficou em stand by por causa do Covid-19;
  • pelo meu serviço ter sido declarado essencial dentro da estrutura organizacional a que pertence continuei a ir trabalhar (em formato escala reduzida, mas continuamos a ir);
  • pela primeira vez na História foi declarado Estado de Emergência;
  • Tive 17 dias de 0€ cêntimos.
Março foi um mês estranho...

sexta-feira, 27 de março de 2020

terça-feira, 24 de março de 2020

O Covid-19 e as finanças pessoais...


Ao contrário de muitos portugueses, eu estou a encarar o Covid-19 como uma oportunidade.
Uma oportunidade para parar e refletir.
Uma oportunidade para reavaliar prioridades, rotinas e objetivos.
O Covid-19 veio colocar tudo em perspetiva.
E no que toca às finanças pessoais aplico o mesmo pensamento: é uma oportunidade.
Talvez por estar numa nova fase na minha vida financeira, fui já obrigada a rever as minhas finanças, e isso obrigou a outras reflexões.
Eu estou em semi-isolamento. O meu serviço foi declarado essencial na estrutura onde está inserido, pelo que continuo a ir trabalhar, numa escala rotativa. Assim o meu rendimento não deverá sofrer grandes alterações.
No entanto, velhas questões regressaram ao meu espírito e novas se apresentaram. Tal levou a tomada de algumas decisões e a uma redefinição de rota. Se acautelar o futuro já era importante, agora tornou-se imperativo. A definição dos próximos objetivos financeiros tornou-se decisivo e concretiza-los ganhou uma relevância extrema.
De qualquer forma, estou a encarar esta situação como uma excelente oportunidade de poupança.
E, para quem quer mais sugestões de como passar o tempo, que tal dedicar-se às suas finanças pessoais?
Encontrar formas de poupança pode ser um jogo engraçado:
* Sair só para reabastecimento alimentar ou farmacêutico, conforme instruções das autoridades;
* evitar o shopping on-line (eu não faço, por regra e não tenciono passar a fazer por sistema agora.  Da experiência que tenho gasta-se mais e compra-se pior, porque a qualidade do produto avalia-se com o toque);
* tenho mais tempo para pensar na shopping list do mês e nas compras que pretendo fazer;
* posso estudar sobre finanças pessoais e testar várias ferramentas;
* para quem tem casa para sustentar pode ser uma excelente oportunidade para “limpar” a despensa;
* pode ser uma excelente oportunidade para “fazer compras” no roupeiro e criar novos looks;
* pode ser a oportunidade que precisava para ter tempo, sentar-se e organizar as suas finanças e objetivos... Enfim, ideias não faltam desde que haja vontade.
Isto é que vai ser poupar este mês, por aqui. :-)
E aí? Como tencionam gerir o vosso recurso durante o isolamento?

segunda-feira, 23 de março de 2020

Os portugueses e o Covid-19... # 2


Muito do pânico instalado neste país advém do facto dos portugueses estarem em pânico em ter de ficar fechados em casa. E não como seria de esperar por estar com medo que o Covd-19 lhe bata à porta.
O que eu vou fazer com tanto tempo? E as crianças? Como vou entretê-las?
são perguntas recorrentes.
É certo que, sendo por natureza, uma pessoa mais caseira, é relativamente simples para mim entreter-me por casa.
Admito que para outras pessoas não o seja. Mas convínhamos que estamos numa situação excecional que abrange todo o mundo. Está toda a gente na mesma situação.
Por isso, na minha perspetiva, vale mais encarar esta situação como uma oportunidade.
Uma oportunidade para viver, para fazer o que, de forma recorrente anda na nossa To do list e adiamos, porque não temos tempo para o fazer.
Deixo-vos algumas sugestões para ocuparem o vosso tempo livre:
  • fazer um destralhe profundo dos nossos pertences;
  • fazer uma Spring clean mais profunda;
  • colocar a leitura em dia;
  • aprender ou aperfeiçoar um hobby;
  • fazer uma formação on-line;
  • colocar o trabalho em dia;
  • conviver com a família;
  • fazer maratonas de filmes ou séries;
  • cozinhar em família;
  • Começar um blogue ou canal de YouTube;
  • Fazer um campeonato de jogos de tabuleiro;
  • etc.
O Covid-19 pode ser a oportunidade para parar, respirar e regressar à simplicidade de outros tempos.
E, sobretudo, para dar graças por estarmos vivos.

domingo, 22 de março de 2020

Os portugueses e o Covid-19...

 
Vivemos tempos difíceis, diferentes. Tivemos de alterar rotinas, formas de viver.
Esta situação veio, de alguma forma, confirmar o egoísmo do típico português que acha que as coisas só acontecem aos outros. Que outra forma se explica a visita à praia, quando a ordem era para irem para casa?
Mas enganam-se! As coisas também nos acontecem a nós. E o Covid-19 é a prova disso. Não escolhe idades, caras, profissões, carteiras...
Um pouco à semelhança do que aconteceu na crise, considero que existe um problema de saúde pública de facto, não dá para negar. Mas acima de tudo, o comportamento dos portugueses demonstra, mais uma vez, que em Portugal existe um sério problema de mentalidade.
Ao contrário do que se possa pensar, quando estamos perante problemas de saúde pública, NÃO é nada cool contrariar as instruções dadas pelas autoridades.
É uma grande IRRESPONSABILIDADE e BURRICE!!
O que se passa em Itália, Espanha, e em outros países, o aumento diário de vitimas e infetados no nosso país assim o demonstram.
Não é assim tão difícil cumprir as indicações da DGS:
 
Fiquem em casa!
Lavem as mãos frequentemente!
Tossir ou espirrar para a cova do braço!
Se tiver sintomas ligar Saúde24!
Não usem máscara se não tiverem sintomas!
Se não forem profissionais de saúde no exercício da vossa profissão é contraproducente usar luvas!
Não usem as máscaras de tecido!
 


sexta-feira, 20 de março de 2020

how i budget today...


Com a nova vida financeira, uma das primeiras coisas que fiz foi rever o orçamento.
Depois de muita reflexão, de ler as vossas sugestões, de muita leitura decidi simplificar a máximo tudo: o processo, a gestão diária, etc.
As coisas para funcionarem têm de ser simples.
Assim sendo optei por criar o meu método próprio: basicamente decidi que iria ficar com aquilo que sempre funcionou comigo.
Então fiz assim:
  1. a primeira coisa que fiz foi fechar um ciclo - como não tinha valor mínimo para transferir as sobras do mês para a conta poupança, decidi levantar o máximo que conseguisse em notas e colocá-las, excecionalmente, no porquinho mealheiro. A ideia é começar do zero!! Tratei ainda de limpar a lista de compras e definir o próximo objetivo financeiro a atingir;
  2. depois com o recibo de vencimento na mão e uma folha branca fiz a lista de despesas fixas e o seu valor, bem como a lista de compras deste mês e feitas as contas as percentagens ficaram: 50% - poupança; 30%- essenciais e 20% lazer.
  3. hoje quando chegou o vencimento a primeira tarefa foi transferir 50% para a poupança;
  4. ao valor que sobrou retirei o valor das despesas fixas, levantei o dinheiro e recheei os envelopes de poupanças anuais e paguei as contas que tenho;
  5. o que sobrou será o valor que tenho para o mês. Para o lazer e para a lista de compras.
  6. Levantei 10€ para trazer na carteira para uma emergência, para comprar algo de baixo valor, para quando não há Multibanco;
  7. o resto ficou na conta e para não perder o fio à meada faço o controlo num post-it que anda sempre na carteira.
O objetivo é não extrapolar o orçamento, comprar a lista de compras, viver a vida, diminuir o valor dos essenciais e aprender a viver com menos de metade do meu rendimento. Esse será o meu grande desafio!

Decidi também que para já apenas avançarei com o envelope das férias/passeios (que mais não será que as sobras dos envelopes anuais) e o envelope dos crafts, pois um dos objetivos deste ano é dedicar-me mais ao artesanato e a costura é um hobby caro. :-)

De resto, os outros envelopes para já ficam em stand by porque me parece mais útil e urgente resolver esta questão.

No fim do mês cá estarei para fazer o balanço.

terça-feira, 17 de março de 2020

Viver com pouco # 33: vivendo e aprendendo..

 
Sei hoje que desde que ganho um rendimento e vivendo em casa dos pais devia logo ter começado a viver com apenas metade do meu rendimento.
Sei hoje que se tivesse ido por esse caminho teria poupado muitos cabelos brancos e dores de cabeça.
Sei hoje que se tivesse seguido esse caminho talvez já tivesse aprendido a gerir bem o dinheiro do mês.
Mas também sei que é nos erros que aprendemos, que crescemos.
A vida é mesmo assim… vivendo e aprendendo… e aproveitando ao máximo cada momento e cada aprendizagem.
:-)

sexta-feira, 13 de março de 2020

$5 challenge...


Como já por aqui disse eu sou super fã dos porquinhos mealheiros.
Aliás digo sempre só não poupa que não quer. Basta um mealheiro e vontade. Porque basta juntar num mealheiro os trocos da carteira e ao fim de um ano conseguimos um valor bastante jeitoso. Agora é preciso queremos realmente!
No entanto, confesso que nos últimos dois anos me tenho debatido com esta questão de ter ou não um mealheiro.
Tudo porque os meus mealheiros eram recheados com moedas de 1€ e 2€ no final do ano debatia-me sempre com o problema onde trocar o valor (a custo zero!). As lojas não achavam piada, os bancos cobram, pagar com elas era um problema…
Assim durante os dois anos foram vários os mealheiros que comecei e acabei, por causa disso.
No entanto, não queria acabar de vez com eles, porque é a forma que tenho para comprar a minha wishlist sem culpa.
Assim quando descobri na internet o $5 challenge decidi logo que era a forma ideal para o meu mealheiro anual.
Basicamente, o meu porquinho mealheiro de 2020 vai ser recheado com notas de 5€, ou seja, antes todas as moedas de 1€ e 2€ que tinha recheavam o mealheiro. Este vamos vou colocar de parte todas as notas de 5€ que me passarem pela mão. E desta forma simples acaba-se o meu problema de trocar o valor no final do ano, porque apenas tenho de agarrar o dinheiro que juntei e depositar. Ou seja, troco o dinheiro a custo zero!
Happy!! Happy!!

P.S- Ao contrário do que pensei coloco dinheiro com menos frequência (com as moedas eram quase diário), a ver vamos como será o valor no final do ano…

terça-feira, 10 de março de 2020

Como fazer uma shopping list eficaz?


Hoje venho partilhar convosco alguns truques que tenho utilizado, ultimamente, na criação das minhas shopping list e que me têm ajudado bastante:
  1. não fazê-la no dia das compras - ultimamente começo a fazer a shopping list com cerca de um mês de antecedência. Isso ajuda-me a clarificar ideias. A torná-la mais realista e executável;
  2. rever constantemente a master shopping list - à semelhança do que acontece com as tarefas comecei a criar uma master shopping list com tudo o que preciso comprar, mas depois faço uma shopping list mensal mais enxuta e realista;
  3. apostar na simplicidade - também aqui tento ser o mais simples possível, um post-it com os itens na agenda ou carteira;
  4. ser o mais realista possível - na lista mensal cabe apenas aquilo que tenho de comprar impreterivelmente aquele mês;
  5. perceber que todos os meses são diferentes e portanto todos os meses há necessidades diferentes;
  6. trazê-la sempre num lugar visível para não me esquecer do meu foco mensal.
E vocês que truques usam?

sexta-feira, 6 de março de 2020

2 anos depois...


E o balanço continua a ser positivo.
Continua o trabalho, quase diário, de manter o mindset certo, porque é difícil mudar mentalidades.
E se o primeiro ano da dieta financeira foi dedicado ao mindset, este segundo ano tem sido dedicado ao ORÇAMENTO e sua gestão. Pareceu-me o passo seguinte natural.
Foram meses de estudo sobre orçamento, de testes… que resultaram em algumas conclusões, que agora partilho convosco:
  1. percebi que para mim, atualmente e com o meu lifestyle, funciona muito bem a combinação de dois sistemas: o método 50-30-20 para a gestão do rendimento disponível e o sistema de envelopes para as despesas anuais;
  2. o meu calcanhar de Aquiles é, sem margem para dúvidas, o dinheiro do mês. O dinheiro do Lazer, da shopping list…
  3. ainda não consegui perceber se funciono melhor com a gestão do dinheiro do mês com pagamento por multibanco ou a dinheiro. Varia muito de mês, para mês., mas gostava de estabilizar esta parte, como o fiz com o orçamento. Retira-me a sensação de ansiedade;
  4. Poupo e tenho toda esta preocupação em gerir bem o meu orçamento porque faz parte de mim e da minha educação viver dentro das minhas possibilidades; porque, apesar de ganhar pouco, tenho objetivos e sonhos e quero cumpri-los; porque gosto de honrar os meus compromissos; porque de alguma forma me divirto e relaxo quando me dedico a refletir sobre o meu orçamento;
  5. se apostar em comprar com qualidade, faço melhores compras e desperdiço menos dinheiro.
Percebi também quais são os truques que uso de forma recorrente e que, portanto, funcionam na perfeição comigo:
  • pagar-se a si primeiro - este é talvez o truque mais antigo que eu uso e que nunca falhou um mês desde que comecei a trabalhar;
  • apontar todas as despesas - sempre fiz isto com bastante rigor, mas depois nunca fazia uma avaliação mensal e anual por categorias. Não utilizava o passo seguinte, o mapa anual, e desde que comecei a fazê-lo tenho mais consciência dos meus gastos. Agora pretendo começar a comparar resultados anuais (eu por norma quando acaba um ano limpo todos os registos, agendas, etc por uma questão de gestão de espaço. Não tenho o hábito de passar de um ano para o outo, mas nas finanças pretendo fazê-lo já se se trata de uma folha Excel, não ocupa espaço físico;
  • levar sempre uma shopping list quando vou às compras;
  • usar um mealheiro para poupar para a wishlist - desta forma vou comprando os meus sonhos consumistas e mantendo a motivação para poupar diariamente.
Vejamos o que o terceiro ano desta dieta nos trará…
E vocês também fazem algum tipo de dieta financeira?

quinta-feira, 5 de março de 2020

Viver com pouco # 32: Começa hoje...

 
... uma nova vida financeira para mim.
A dor de cabeça já lá vai e com ela vão também os cabelos brancos, a ansiedade, a dúvida permanente se conseguia ou não cumprir as minhas obrigações, o medo de acontecer alguma coisa e não ter € para fazer face às despesas.
Vai também a certeza não querer voltar a repetir a experiência!
Agora é tempo de reorganizar as finanças, definir novas prioridades, novas metas e preparar-me para o futuro.
Como já aqui referi vou também reorganizar o meu orçamento.
A ideia é manter o sistema 50-30-20, mas dar uma nova roupagem ao mesmo.
Assim os 50% passam a ser destinados à poupança, os 20% ficam para os essenciais e 30% ficará para o lazer. Veremos o que acontece…
O objetivo é aprender a viver com apenas metade do meu rendimento e no futuro quem sabe com menos mesmo.
Começa hoje uma nova vida, uma nova jornada financeira… :-)