sábado, 19 de setembro de 2020

diário financeiro #1: ser financeiramente saudável...


Nesta jornada financeira é importante termos bem claro quais são os nossos objetivos, o que pretendemos alcançar com ela.

No meu caso, eu pretendo essencialmente ser financeiramente saudável e, em última instância, atingir a paz financeira.

E o que é que eu entendo por ser financeiramente saudável?

De um modo muito simples e direto, pretendo com o meu vencimento pagar todas as minhas despesas, poupar e viver a vida sem ter de me preocupar com contas. Ou seja, pretendo chegar ao fim do mês com 50% do meu vencimento poupado para a concretização dos meus sonhos, as minhas despesas fixas e essenciais totalmente pagas e ir aproveitando o que a vida me dá de bom (ir jantar fora porque me apetece, ir passar um fim de semana fora, etc.) sem ter de fazer grande contas. Sem ter me fazer opções ou escolhas. Sem ter de fazer grandes sacrifícios.

E como pretendo fazer isso?

Dado que sou assalariada, o meu vencimento não depende propriamente de mim. Agora, depende de mim lutar todos os dias para melhorar isso. Para melhorar o meu desempenho profissional e com isso abrir portas a eventuais promoções e progressões que me trarão mais vencimento ao fim do mês. E isso meus amigos, estou lá todos os dias!!

Também depende de mim fazer uma gestão eficaz do meu vencimento e é nisso que eu me vou focar. 

Na vida é importante percebermos quais as lutas que devemos ter e apenas nos preocuparmos com aquilo que realmente controlamos. 

Por mim, há muitos anos que tinha sido promovida, mas eu não tenho nenhum controlo sobre isso (obrigada Orçamento de Estado!). 

Agora posso controlar o meu desempenho profissional diário, a minha atitude, o meu comportamento, aperfeiçoar os meus conhecimentos, o meu crescimento enquanto profissional. E um dia, estou certa, o reconhecimento virá.

Posso igualmente controlar a forma como gasto o vencimento, trabalhar a disciplina de cumprir os objetivos financeiros a que me proponho, não gastar indevidamente, etc.

Assim sendo, a ideia é nas finanças, à semelhança do que já acontece no mundo laboral, preocupar-me apenas com aquilo que eu posso controlar e deixar nas mãos de Deus o resto.

E vocês? O que pretendem atingir? 

2 comentários:

  1. Eu acho que já tenho uma boa almofada financeira, mas não sei bem para que servirá. Aliás, eu tenho sempre tanto receio com o futuro e os trabalhos, que deverá servir para algo assim do género.

    Beijocas

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Guarda-a para um imprevisto. Nunca sabemos o dia de amanhã. Pode dar-se o caso estranho de vivermos uma pandemia. :-)

      Eliminar